top of page

Cordilheira Real

Atualizado: 22 de abr. de 2020

A cordilheira dos Andes na Bolívia está dividida em sete cadeias de montanhas que cruzam o país. A Cordilheira Real é a que está mais próxima de La Paz e a que recebe mais turistas, aventureiros e escaladores de diversos lugares do mundo, principalmente da França, Chile, Argentina e mais recentemente do Brasil também. Ao norte da Cordilheira Real e da cidade de La Paz está localizada a Cordilheira de Apolobamba e ao sul a Cordilheira Quimsa Cruz. Não não podemos deixar de citar a Cordilheira Ocidental, próximo a fronteira com Chile, onde está localizado o vulcão Sajama, a mais alta montanha da Bolívia com 6.549m de altitude.

Escalar montanha nos Andes, seja no Peru ou na Bolívia, é uma intensa viagem cultural, já que os dois países conservaram a dura custas os costumes, trajes e lingua dos povos originários. Nas montanhas, ou mesmo caminhando pelas ruas da cidade é muito fácil perceber como a raça indígena prevaleceu fortemente, existindo pouquíssima miscegenação.



Para se chegar a La Paz é possível voo direto de São Paulo, com escala em Lima, o que torna a passagem bem cara. Uma opção é voar São Paulo-Santa Cruz de La Sierra e de lá pegar outro voô com a empresa boliviana BOA, esta passagem comprada com antecipação custa cerca de $100. Este trecho Santa Cruz – La Paz também é possível percorrer de onibus, daí a passagem custa cerca de $15, só que ao invés de duas horas de voô são 18 horas de viagem.



La Paz é uma grande cidade cercada de lindas montanhas. Da cidade se vê ao Norte o Illimani com 6.480m de altitude, e o Mururata com 5.575m, e um pouco mais ao sul o Huayna Potossi com 6.080m. A geografia da cidade também impressiona muito, logo após a Cordilheira Real se chega a região de La Paz conhecida como El Alto, aí a altitude é de 4.200m, onde está localizado a periferia da cidade que se estende por uma planíce de perder de vista. A cidade de La Paz, o centro, está localizado lá embaixo, a impressão é de estar descendo para dentro de um buraco, aí a altitude cai para cerca de 3.800m. É no centro onde estão localizados as agências e as lojas de montanha, os hostels e restaurantes, tudo ao redor da rua Sagarnaga e Illampu. Descendo ainda mais se chega a zona sul da cidade, a região nobre, muito distinta de todo o resto de La Paz, nos falaram que era os Estados Unidos de La Paz, Burger King realmente tinha por lá. É também na zona sul que está localizado um setor de escalada esportiva conhecido como Aranruez, a rocha é o conglomerado e é uma ótima pedida para os dias de aclimatação.



Para escalar na Cordilheira Real, principalmente nas montanhas mais populares como o Condoriri 5.697m, o Pequeno Alpamayo 5.300m e o Huaya Potossi 6.080m é muito fácil encontrar agências que oferecem pacotes completos, com guias, porteadores, burros para cargas e todo o equipo de escalada. O acampamento base do Condoriri é um ótimo lugar para começar a empreita. De lá é possível escalar várias montanhas, inclusive o Pequeno Alpamayo. Optamos por ir sozinhos, sem os serviços das agências e com equipamento próprio. Com carro particular (pagamos R$70,00 a corrida) se chega bem próximo do acampamento, em um lugar conhecido como La Rinconada, daí se pode arrumar os burros para a carga (R$25,00), e caminhando cerca de uma hora já se chega ao acampamento base. Com certeza este é um dos lugares da Cordilheira Real que mais recebe escaladores durante a temporada. Para estar aí é necessário pagar uma taxa diária de 10 bolivianos, cerca de R$3,00, em contrapartida o acampamento conta com vários banheiros (construiídos com pedras e vegetação dali mesmo), fonte de água limpa e um cuidador que limpa os banheiros diariamente. Apesar da grande visitação o lugar está sempre limpo.



Este ano as condições da neve nestas montanhas estavam excelentes e tivemos o priviélgio de escalar o Pequeno Alpamayo pela via Directa, com uma parede de 150m e inclinação de 50 graus, são cerca de 8 a 10 horas entre subir e descer. O Condoriri, chamado assim porque realmente a montanha se parece com um Condor com as asas abertas, já é um pouco mais técnico e a empreita é maior. Se pode escolher subir La Cabeza del Condor, com um trecho pequeno de cerca de 80 graus de inclinação e uma linda aresta no final para atingir o cume. Ou ainda, escalar a Asa Direita 5.482m, apenas caminhando ou a Asa Esquerda 5.532m enfrentando uma escalada mixta e bem mais exigente. Do mesmo acampamento ainda é possível chegar ao cume do Pico Áustria, do Tarija, da Piramide Blanca e do Ilusão. E ainda comer uma trucha da laguna Chiar Khota, basta ficar atento a movimentação dos pescadores e garantir a janta com peixe fresco, um luxo só para quem está acampado a 4.620m .



Depois da aclimatação no Condoriri a montanha mais acessível, no que diz respeito a logística e técnica, é o Huayna Potossi. De La Paz se chega até o acampamento base de carro, cerca de 40min a 1 hora, onde existe um refúgio de montanha. De lá é possível sair caminhando no mesmo dia e chegar, depois de 2 horas em média, ao acampamento alto, onde também existe um refúgio de montanha. Daí são cerca de 8 a 10 horas de caminhada para chegar e descer do cume. Não existe nenhum trecho muito técnico pela via normal, apenas caminhada em glaciar. Para quem quer escalar um pouco uma boa opção é a via Francesa, com uma linda parede de uns 300m e com inclinação de 50 a 60 graus.

Se a idéia e sair um pouco da rota turística e se aventurar por lugares menos frequentados da Cordilheira Real, as montanhas mais ao norte de La Paz são uma excelente opção. Difícil é encontrar informações e transporte, já que as agências na sua maioria só oferecem serviços para Condoriri e Huayna Potossi. Ao norte está o Chachacomani 6.074m, que junto com o Chearoco 6.127m, o Illampu 6.368 e o Ancohuma 6.427m forma uma maçico de glaciar perpétuo e muito grande. Infelizmente nos faltou tempo para conhecer este pedaço da Cordilheira Real, mas com certeza já está nos planos da próxima temporada.








20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Cura*

Post: Blog2_Post
bottom of page